Vá de Tubaína – A pedra no sapato da Coca-Cola

As Heraínas do Mercado Nacional
As Heraínas do Mercado Nacional

As tubaínas, nossos refrigerantes populares e de baixo preço muito comuns no interior de São Paulo, Paraná e vários outros estados da União, são aquelas vendidas em garrafas retornáveis de cerveja. Essas heroínas do mercado nacional são a linha de defesa mais dura contra a entrada das grandes corporações do diabo (rs) nas camadas mais carentes da população ou em regiões remotas do país onde as pessoas não foram completamente lobotomizadas pela indústria cultural ou por modismos levianos comuns aos grandes centros urbanos. Essas pequenas empresas, são assediadas de forma quase obscena pelas grandes do capitalismo. Vide o exemplo do Guaraná Jesus, lá do Maranhão. Hoje infelzmente um produto Coca-Cola Company.

Existem várias vantagens em substituir os refrigerantes “de marca” por nossas companheirinhas brazucas. A primeira delas é obviamente o preço. Custam de R$ 1,00 a R$ 2,00 reais as garrafas retornaveis de 600 ml. As mais moderninhas vendidas em pets 2 litros não passam de R$3,50. Sua receita simples, poupa teu corpo de ingerir uma pancada de sódio e outras porcarias.  São saborosas aos paladares não viciados pela indústria e em geral têm mais gás, elemento responsável pela tal refrigeração no corpo (aquele arrotinho discreto). Esses são apontamentos que desrespeitam ao micro, ou seja: Seu corpo, seu bolso, sua mesa de jantar.

Agora vamos observar o efeito dessa troca de marcas em larga escala. Toda vez que você compra um refrigerante como Coca, ou Pepsi o lucro da venda não fica inteiro no seu país, muito menos na sua região (fica só o suficiente pra pagar os funcionários da empresa, os custos de produção e manutençao do negócio). Teu dinheiro, advindo do suor do teu trabalho, vai lá pra fora, pras contas bancárias dos bilhonários sociopatas invisiveis aos mortais e não volta nunca mais. Você deixar seu país mais pobre.

Quando a riqueza produzida no país fica no país, todo mundo ganha. Fortalece-se a indústria nacional, aumenta nossa competitividade com o mercado externo, fomenta o sentimento de valor nas coisas produzidas por nosso povo, e dá reconhecimento aos corajosos empreendedores brasileiros que certamente produzem com muito mais boa vontade e humanidade do que a coca ou outras da mesma laia.

A AmBev (Antártica, Brahma e outras), mesmo sendo uma empresa de mercado aberto, só é o gigante que é, por que você consome produtos dela em vez de Guinness (Irlanda) ou Erdirger (Alemanha) ou Heineken (Holanda). Tanto é que A King of  Beers (Budweise) agora é nossa. Posso citar ainda a Eisenbahn, cervejaria artezanal de Blumenal que foi premiada pela sua excelênte qualidade e pureza de receita lá na Alemanha (terra da cerveja). Esse é o poder da valorização do produto nacional.

Portanto, perca a vergonha tonta de consumir aquelo que é feito aqui, pela tua gente, achando que o que vem de lá de fora é sempre melhor. Vá de tubaína.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s